Compartilhar

[DETEC INFORMA] PLANTABILIDADE

Ano após ano, o agricultor busca cada vez mais um aumento de produtividade e consequentemente uma maior rentabilidade em seus negócios. Com isso, se busca uma constante evolução de conhecimento, aliado aos avanços tecnológicos existentes no mercado. Dentro deste cenário, o potencial produtivo da lavoura está diretamente relacionado aos fatores que afetam o processo de germinação das sementes e estabelecimento das plântulas. Dentre esses fatores, a plantabilidade tem uma grande importância, pois se dá pela distribuição uniforme das sementes no campo, onde a distância de uma semente a outra dentro da linha de semeadura deverá ser igual, bem como sua profundidade.

A satisfação do produtor, depois da semeadura é observar o estabelecimento homogêneo da sua lavoura, com um bom estande de plantas, mas nem sempre isso é possível. Hoje em dia, ainda é possível observar muitas áreas com falhas de plantas, ou sementes duplas, problemas que passam despercebidos, mas no fim do ciclo comprometem os resultados da colheita. Um erro na distribuição da semente compromete o aproveitamento dos recursos disponíveis, como água, nutrientes e luz, portanto a distribuição de sementes no leito de semeadura é um fator fundamental para o aumento de produtividade. Além de estar atrelado a possíveis economias em relação à quantidade de semente utilizada, herbicidas, fungicidas e colheita.

Portanto, para que se obtenha uma plantabilidade adequada é necessário considerar alguns fatores, tais como:

  • - Tratamento de Semente e utilização de grafite;
  • - Uniformidade de semente e escolha do disco;
  • - Equipamento dosador e regulagem;
  • - Velocidade de semeadura;.

Tratamento de Semente e utilização de grafite

O tratamento de semente com fungicidas, inseticidas, entre outros, é essencial para o estabelecimento de uma população de plantas adequada e com qualidade. No entanto, esses produtos alteram as características da superfície da semente, fazendo com que aumente o atrito e dificulte sua movimentação desde a caixa da semeadora, até os discos e sistemas de distribuição. Por conta disso o uso de um lubrificante seco se torna indispensável na hora da semeadura, fazendo com que melhore o escoamento dessa semente. O mais utilizado é o grafite, na dose recomendada de 5 gramas para cada quilo de semente, quando se tratando de soja.

Uniformidade de semente e escolha do disco

A escolha do disco a ser utilizado em sistemas mecânicos tendo como base o tamanho da semente é fundamental. Conforme a peneira em que cada lote e cultivar for classificado, decide-se qual o disco mais adequado a ser utilizado. Deve-se obter um encaixe adequado entre a semente e o orifício do disco, permitindo a passagem de maneira fácil, mas que ao mesmo tempo não possibilite que duas ou mais sementes ocupem o mesmo orifício. Vale salientar a importância de se utilizar sementes certificadas e classificadas, com uma boa uniformidade quanto as suas dimensões.

Equipamento dosador e regulagem

Existem dois principais mecanismos dosadores existentes no mercado hoje em dia, que são os mecânicos com discos horizontais e os pneumáticos. O sistema mecânico com disco horizontal, com a regulagem correta e velocidade adequada, pode realizar plantios com uma qualidade bem satisfatória. Para esse sistema existe uma variabilidade de discos com diferentes tamanhos, números de orifícios e anéis. Nesse sistema trabalha-se com discos que se deslocam conforme o movimento da semeadora, fazendo com que as sementes se alojem nos orifícios onde são dosadas.

Já os equipamentos pneumáticos, possuem uma maior precisão com a dosagem das sementes, onde geralmente operam com discos perfurados rotativos, onde as sementes, por ação do vácuo, são forçadas a aderir aos alvéolos, sendo liberadas em uma abertura em que o efeito do ar é minimizado, e após seguem para o tubo condutor. Neste equipamento também existe o dispositivo eliminador de duplas, que individualizam as sementes, eliminando o excesso. Da mesma forma, como é para equipamentos mecânicos de discos horizontais, é importante adquirir sementes uniformes, para uma correta regulagem dos raspadores.       

Velocidade de semeadura

A velocidade de semeadura tem relação direta com a quantidade de falhas e sementes duplas, o que interfere no estande final e, consequentemente, na produtividade da cultura. Pode-se dizer que quanto maior for a velocidade de deslocamento, maior a influência negativa na regulagem de distribuição, fazendo com que diminua a porcentagem de espaçamentos normais. A velocidade utilizada na semeadura interfere diretamente na distribuição da semente no solo, além disso, o aumento de velocidade se revolve mais o solo com a abertura e fechamento do sulco, impactando também na variação de profundidade da semente. Para equipamentos mecânicos de disco recomenda-se velocidade entre 4 a 6 km/ha, e para pneumáticos em até 8 km/h.

Todos esses benefícios são refletidos no melhor crescimento das plantas, que se desenvolvem com uma boa estrutura, viabilizando a maior permanência de folhas, favorecendo uma maior capacidade fotossintética, e consequentemente um melhor rendimento de grão.

Em caso de dúvidas, consulte um técnico da Cotrisel da sua cidade.

 

Engenheiro Agrônomo Rainer Seibert Silveira

DETEC – Restinga Sêca/RS